Blogroll

Image and video hosting by TinyPic

Povo de Rohan



Os Rohirrim, o povo de Rohan, viviam isolados do resto do mundo, não queriam saber de alianças, pois já não acreditavam nelas. Eram guerreiros leais, combatentes temíveis. Usavam lanças compridas e escudos, como armas e além disso os seus cavalos eram velozes. E era essa a grande arma de Rohan: os seus cavalos. Tinham uma cavalaria poderosa, muito bem treinada e temível. Os Rohirrim são todos cavaleiros, conseguiram viver por mérito próprio, graças á sua força, inteligência, coragem e perícia na arte da cavalaria.


Rohan é um reino localizado ao Sul das Montanhas Sombrias, norte de Gondor e noroeste de Mordor.
Seus habitantes são conhecidos como Senhores dos Cavalos, pois os cavalos de Rohan são belos e fortes, e os rohirrim os cavalgam com maestria. Rohan foi, desde sua criação, aliada do reino de Gondor, e essas duas nações se auxiliam em momentos de crise.
A capital de Rohan é a cidade de Edoras, e durante o final da Terceira Era foi governada pelo Rei Théoden, época na qual Rohan se envolveu ativamente nas guerras que culminaram com a derrota de Sauron e com o final da Terceira Era.


As terras de Rohan são compostas por vastas planícies e baixas colinas, geralmente cobertas por pastagens, ideais para a criação de cavalos e rebanhos e para fazendas. No extremo leste, próximo ao Anduin, as terras são pantanosas, e a oeste o terreno apresenta mais colinas e charnecas. Ao norte, há a Floresta de Fangorn, a qual os rohirrim evitam a todo custo.
Os povos de Gondor e Rohan tinham um parentesco distante. O nome rohirrim é um termo sindarin para Senhores dos Cavalos, e era geralmente usado por estrangeiros, pois eles costumavam chamar a si mesmos de Eorlingas, em homenagem ao seu primeiro rei Eorl, o Jovem.
Os homens de Rohan são descritos como altos e belos, com pele e olhos claros. Os cabelos em tons de dourado eram presos em longas tranças. Seus rostos eram austeros e argutos. Quase todos os homens usavam barba.


Dentre suas várias peculiaridades, os exércitos de Rohan são mais conhecidos pelo fato de serem constituídos por cavaleiros montados em fabulosos cavalos, e dominam essa arte tão bem que são fortemente temidos pelos orcs.
No segundo volume de O Senhor dos Anéis, As Duas Torres, um grande grupo de cavaleiros de Rohan são os responsáveis pelo extermínio dos Uruk-hai que haviam capturado Pippin e Merry.

 


A Era Da Escuridão na Terra Média



Enquanto Valinor e as Terras Imortais eram banhadas pela Luz das Árvores, toda a Terra Média foi relegada à escuridão. Estas foram as Eras da Escuridão na Terra Média, quando Melkor escavou as infernais Cavernas de Utumno ainda mais fundo sob as Montanhas de Ferro. Com esplendor diabólico, ele elaborou lugares escabrosos subterrâneos com labirintos, túneis, corredores, e masmorras impenetráveis de pedra, fogo e gelo.


Lá o Senhor das Trevas reuniu todos os poderes maléficos do mundo. Seu número parecia sem limites, e Melkor nunca se cansou de criar novas e mais terríveis formas. Espíritos cruéis, fantasmas, demônios habitavam os corredores de Utumno. Todas as serpentes do mundo foram geradas em um reino escuro que era lar de Lobisomens e Vampiros e inúmeros monstros e insetos, que se alimentavam de sangue, voavam, rastejavam e deslizavam. 


Em Utumno tudo era comandado pelos discípulos demoníacos de Melkor, os inflamados espíritos Maiar chamados Balrogs, com seu chicotes de fogo e suas maças negras. O maior dentre eles era o Alto Capitão de Utumno, Gothmog o Balrog.


Mas não era Utumno o único reino de Melkor. No início das Eras da Escuridão, Melkor rejubilou-se na sua vitória sobre os Valar, e sua destruição de Almaren e das Grandes Lâmpadas. A partir de então ele tratou de aumentar seu poder na parte mais a oeste das Montanhas de Ferro, onde ele construiu seu segundo reino. Esta era o grande arsenal e fortaleza chamado Angband, a Prisão de Ferro.

Arda

Então ele nomeou seu mais poderoso discípulo, Sauron o Maia Feiticeiro, o Mestre de Angband. Exceto pelos olhos guardiães de Manwë, o Senhor dos Ventos, olhando de cima da montanha sagrada de Taniquetil, e as visitas ocasionais de Oromë, o Cavaleiro Selvagem; de todos os Valar, somente Yavanna, a protetora das florestas e campinas, entrou na Terra Média naquele tempo. Sobre toda a fauna e flora que ela havia criado ela lançou um feitiço de proteção chamado Sono de Yavanna, de tal forma que eles sobreviveram a sombra e maldade do domínio de Melkor.


E assim essa foi, em sua maior parte, as Eras de Glória para Melkor, o Senhor Satânico da Escuridão. Por seu ato de destruição sobre as Lâmpadas, Melkor herdou por completo a destruída e escura Terra Média e menteve domínio sobre ela por dez mil anos dos mortais.

A Raça dos Ents



Ents são uma raça humanóide de árvores na Terra-média de Tolkien. Aparentam ter sido inspiradas nas árvores falantes de muitos dos folclores mundiais. Na época em que se passa O Senhor dos Anéis, não existem jovens Ents (conhecidos como Entings), pois as Entesposas (Ents fêmea) se perderam.
A palavra “Ent” foi tirade do Anglo-Saxão, onde ela significa “gigante”. (Tolkien extraiu a palavra de fragmentos de poesias Anglo-Saxãs orþanc enta geweorc = "trabalho de sábios gigantes" e eald enta geweorc = "velho trabalho de gigantes". Nesse sentido da palavra, Ents são provavelmente os mais onipresentes de todas as criaturas nas fantasias e folclores, talvez perdendo apenas para dragões.


 A Palavra Ent como é usada históricamente pode se referir a qualquer número de grandes criaturas humanóides, incluindo, mas não se limitando a, gigantes, trolls, orcs e até mesmo Grendel, do poema Beowulf.
Nesse sentido da palavra, Ents são um dos pilares da fantasia e folclore/mitologia, junto com magos, cavaleiros, princesas e dragões, embora falantes do Inglês moderno provavelmente não os chamem pelo seus nomes tradicionais.
Junto com o Velho Nórdico Jorun, “ent” veio do Germânico Comum *etunaz.



Os Ents são uma raça muito antiga que apareceu na Terra-média junto com os Elfos. Aparentemente foram criados por Eru Ilúvatar a um pedido de Yavanna após ela descobrir sobre os filhos de Aulë, os Anões, sabendo que eles iriam derrubar as árvores. Ents foram tidos como Pastores de Árvores, para protegerem as florestas dos Orcs, Anões e outros perigos. 


Embora os Ents fossem criaturas sentientes na época de seu despertar, eles não sabiam como falar até os Elfos os ensinarem. Barbárvore disse que os Elfos “nos curaram de nosso mutismo” que havia sido um grande dom que não deveria ser esquecido. (“Eles sempre desejavam conversar com tudo, os velhos Elfos queriam.”).


Ents são criaturas parecidas com árvores, tendo se tornado muito parecidas com as árvores que eles pastoreiam. Traços individuais variam, da altura (em média quatro metros e meio) ao tamanho, coloridade e o número de dedos das mãos e pés. Também possuem as fraquezas das árvores, e podem ser queimados e derrubados.


 Um Ent, individualmente, se assemelha muito às espécies específicas que eles guardam. Por exemplo Bregalad (Tronquesperto) guardava Sorveiras e, assim sendo, se parecia muito com uma (alto e esbelto). Na Terceira Era da Terra-média, a floresta de Fangorn era o único lugar conhecido ainda habitado por Ents, embora os Huorns (criaturas parecidas com Ents) ainda tivessem sobrevivido em algum outro lugar, como na Velha Floresta.
Barbárvore se vangloriou para Merry e Pippin sobre a força dos Ents. Ele disse que eram muito mais poderosos do que Trolls, os quais Morgoth (nos Dias Antigos ou na Primeira Era) supostamente os fez como zombaria dos Ents mas não chegou perto de seus poderes.


 Ele compara isso com como os Orcs eram as imitações de Morgoth dos Elfos. Ents são altos e muito fortes, capazes de partir rochas e pedras. Tolkien os descreve atirando grandes pedaços de pedra e destruindo as muralhas de Isengard “… como migalhas de pão.”O nome Sindarin para os Ents (como uma raça) é Onodrim, um único Ent é Onod, e o conjunto de Ents é Enyd.




A Rainha Galadriel



Galadriel é filha de Finarfin e irmã de Finrod Felagund; quando nasceu, seu pai a chamou de Artanis, mas sua mãe deu o nome de Nerwen ("Donzela-homem"). O nome que ela adotou foi o que seu marido lhe deu, Galadriel, que é uma tradução do nome telerin Alatáriel.



Estava entre os líderes da rebelião noldorin contra os Valar. Na Terra-média ela adquiriu muito conhecimento com Melian. Desposou Celeborn de Doriath e com ele permaneceu na Terra-média até o final da Terceira Era. Guardiã de Nenya, o Anel da Água, em Lothlórien.
Fundou o Conselho Branco. 


Governou junto com Celeborn o reino elfo de Lórien, um dos refúgios élficos na Terceira Era graças ao poder do Anel Nenya. Era a mais poderosa e bela entre os Elfos que restavam na Terra-Média. Depois da destruição do Um Anel, o poder do Anel Nenya se extingüiu e ela partiu da Terra-média.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...